Textos & Artigos

Deus é Amor

"Deus é Amor" é uma afirmação tântrica. Significa que, em nossa experiência, o amor é a única realidade que chega mais perto de Deus, do divino. Por que? porque no amor, a unidade é sentida.
Por isso existe tanto anseio por sexo. O anseio real é por unidade, mas essa unidade não é sexual. No sexo, dois corpos têm somente uma sensação ilusória de se tornarem um, mas eles não são um, eles estão apenas juntos. Mas por um simples momento, dois corpos esquecem de si mesmos um no outro e uma certa unidade física é sentida. Este anseio não é ruim, mas ficar parado nele é perigoso. Esse anseio mostra um profundo impulso para sentir-se a unidade.
No amor, em um plano superior, o eu interior se move, funde-se com o outro e existe uma sensação de unidade. A dualidade se dissolve. Somente nesse amor não-dual, nós podemos ter um vislumbre de qual é o estado de um bhairava (termo sânscrito que que designa alguém que foi além - Shiva e Devi são conhecidos como Bhairavs - aqueles que foram além). Nós podemos dizer que o estado de um bhairava é o de amor absoluto, sem nenhum retorno - do ápice do amor não existe queda. Permanece-se no ápice.
Nós fizemos a morada de Shiva no Kailash. Isso é apenas simbólico: é o cume mais elevado, o cume mais sagrado. Nós fizemos dele a morada de Shiva. Nós poderemos ir lá, mas nós teremos de voltar, ele ainda não pode ser nossa morada. Nós podemos ir em peregrinações. É uma tirthyatra - uma peregrinação (meditação), uma jornada. Nós podemos tocar, apenas por um momento, o cume mais alto; depois teremos de voltar.
No amor, essa peregrinação sagrada acontece, mas não para todo mundo, porque quase ninguém vai além do sexo. Assim, nós continuamos vivendo no vale, no vale escuro. Algumas vezes alguém se move para o ápice do amor, mas então cai de volta, porque é muito vertiginoso. Ele é tão alto e você tão baixo, é muito difícil viver lá. Aqueles que amaram, eles sabem o quanto é difícil estar constantemente no amor. A pessoa tem que voltar repetidas vezes.

Osho

 

« Voltar para o Centro Metamorfose