Como prolongar e intensificar o orgasmo

Conheça a terapia tântrica e como ela pode tratar problemas de ereção

Publicado em 10/04/2014 por Deva Sangito

Vamos começar deixando bem claro que iremos tratar de ciência aqui. Embora o título do artigo possa parecer algo promocional e apelativo - algo como uma pílula que deixa seus orgasmos incríveis - a ideia não é essa. Vamos falar aqui de como as práticas, massagens, vivências e meditações constantes no Tantra trabalham o nosso corpo para desenvolvermos não só um orgasmo mais intenso e mais longo, mas também para descobrirmos novos tipos de orgasmos e ressignificar o nosso prazer.

Aumentando a energia

Em primeiro lugar, vamos entender o que é o orgasmo, pois a confusão já começa aí. Em uma busca rápida pela internet você pode encontrar uma série de definições que, erroneamente, limitam o orgasmo à estimulação dos órgãos sexuais. O orgasmo constitui-se de descargas bioelétricas produzidas pelos nossos músculos - não apenas os sexuais - uma vez que sejam dados estímulos com a intensidade e duração necessários. Trocando em miúdos, embora nós pensemos que orgasmo está unicamente ligado a sexo, saiba que podemos gozar estimulando o nosso corpo como um todo.

Isso quer dizer também que - no caso dos homens - nem sempre o orgasmo precisa vir acompanhado de ejaculação. O nosso orgasmo comum, que só estimula os órgãos sexuais, não funciona como um acumulador de bioeletricidade, mas sim como relaxante, como um liberador dessa energia. Dessa forma, quando a bioeletricidade começa a se manifestar, rapidamente é dissipada. E para alcançar orgasmos com todo o potencial bioelétrico do nosso corpo, é preciso acumular bastante energia nos músculos, na pele, e fazer essa energia se concentrar e subir, em vez de descer e se perder.

Para acumular essa energia, precisamos sair do orgasmo primitivo e da relação sexual trivial, provocando novos formas de estímulo e despertar da energia do corpo. A Sensitive Massage - Massagem Tântrica desenvolvida por Deva Nishok - é muito eficiente nessa condução de bioeletricidade. Com estímulos leves e suaves em toda a superfície da pele da pessoa - inclusive por regiões do corpo às quais raramente damos atenção - é possível acordar o potencial bioelétrico e colocar a pessoa em contato com essa energia orgástica sem a presença do sexo. Esses estímulos fazem com que sintamos choques - quase um formigamento - por diversas regiões do corpo que, não só se espalham, mas alteram a bioquímica do nosso organismo. Hormônios ligados ao prazer e à satisfação, como a Serotonina, a Oxitocina, são produzidos e espalhados pela corrente sanguínea, intensificando a sensação do toque, podendo gerar espasmos na musculatura de todo o corpo. Isso acontece pela conexão de diversos grupos musculares nessa corrente bioelétrica e a sensação percebida é incrivelmente prazerosa.

Treinamento

Mas isso não significa o fim dos estímulos sexuais, de maneira nenhuma. Significa que, para lidar com a bioeletricidade, você precisará treinar o seu corpo e tonificar alguns músculos - como um atleta que precisa se desenvolver para quebrar seus próprios recordes, alcançar novas marcas. E, nesse caso, falo aqui do tônus muscular do órgão sexual feminino e masculino. Para sustentar toda esse energia, esses músculos não podem estar hipotônicos; eles precisam estar fortes e desenvolvidos. As massagens tântricas são muito eficazes nesses aprendizado pois, com manobras desempenhadas nas genitais - porém sem cunho sexual - é possível desenvolver esse agrupamento muscular, tonificando-o.

Concluindo

Espalhando a sensação orgástica por todo o corpo e fortalecendo os músculos do órgão sexual. É assim que podemos intensificar e prolongar o nosso orgasmo, atingindo outros estados de consciência, fruto dessas descargas bioelétricas. Um aprendizado muito prazeroso, que irá transformar as suas relações para sempre.