O Tantra no tratamento da disfunção erétil

Conheça a terapia tântrica e como ela pode tratar problemas de ereção

Publicado em 23/05/2014 por Deva Sangito

Ninguém fala sobre isso. Poucos têm coragem de admitir e procurar uma solução para seu problema. Mas, o fato é que, de acordo com um estudo realizado pelo Núcleo de Psicologia da Universidade de São Paulo cerca de 40% dos brasileiros com mais de 18 anos apresentam algum sinal de disfunção erétil.

A incapacidade de manter uma ereção o suficiente para uma relação sexual satisfatória caracteriza essa disfunção. A frequência com que ocorre pode torná-la severa ou branda. Dentre os principais agentes causadores desse transtorno estão: estresse, cansaço, fadiga e consumo de drogas. Mas o que pouca gente diagnostica como problema é a psicogenia da resposta sexual. Eu explico.

O homem pode ter dois tipos de ereção: uma que reage aos estímulos recebidos pelo toque nas zonas erógenas em seu corpo, cujo foco é o centro sexual orgânico que temos na base da coluna. É a resposta natural que deveríamos ter aos estímulos sexuais: o toque é recebido, dispara as informações para o sistema nervoso central, que responde com o comando: hora da ereção! Além dessa, existe a ereção psicogênica, que é originada diretamente no cérebro e desce o comando para a ereção diretamente, sem que haja qualquer estímulo efetivamente recebido pelo corpo. É esse tipo de ereção que surge quando assistimos pornografia, por exemplo. O cérebro é “enganado” a despertar esse estímulo de ereção sem que o corpo propriamente dito tenha sentido essa vontade. Da mesma forma, quando fechamos os olhos e fantasiamos mil estrepolias durante o ato sexual, estamos focando nos estímulos psicogênicos e, consequentemente, negligenciando o corpo.

Esse tipo de condicionamento abre margem para um sem número de questões psicológicas interferirem no processo da ereção e da relação. É preciso um resgate do nosso centro sexual nativo, que concentra a energia da nossa sexualidade no nosso corpo. Precisamos renegar ao cérebro a função de coordenar nossos processos sexuais e passar a sentir mais o corpo e a receptividade dos estímulos. É aí que entra a terapia tântrica.

Essa terapia, principalmente ao utilizar a ferramenta da massagem tântrica, provoca reações que vão de encontro aos condicionamentos limitantes, alterando os padrões da nossa sexualidade. O homem passa a sentir a ereção em vez de estimulá-la com comandos. Para isso, são feitos estímulos completamente distintos dos movimentos masturbatórios que não possuem uma codificação no cérebro – são toques inéditos, desconhecidos que, além de criar essa nova referência acabam por tonificar os músculos do pênis, tornando-o capaz de sustentar mais energia, prolongando e intensificando a ereção. Todo o processo desenvolve no homem a capacidade de sentir orgasmos secos desvinculados da ejaculação, que geram correntes bioelétricas em seu organismo, ativando glândulas produtoras de hormônios ligados ao prazer e à satisfação. Ou seja, ainda que o problema de disfunção erétil não seja estritamente psicológico – se for o caso de problemas de fluxo sanguíneo, produção hormonal, etc – a massagem tântrica pode ser uma ótima opção a fim de se evitar medidas mais invasivas como uma cirurgia.

Se você já teve algum problema com sua ereção, ou apenas quer descobrir novas maneiras de interpretar sua sexualidade, procure conhecer mais sobre a terapia tântrica e os benefícios que ela traz para o corpo e para a mente.