Transando com os 5 sentidos

Você já parou para pensar sobre o quanto você se envolve e se entrega em uma relação sexual? Se age por instinto ou com consciência durante o sexo? Quanto do seu foco está na fantasia e quanto está nas sensações percebidas pelo seu corpo?

Praticamente todos nós fomos condicionados a olhar para o sexo de maneira inadequada; temos uma tendência enorme de usar e abusar da mente durante a relação e negligenciar o corpo. Tornamo-nos dependentes desses estímulos psicogênicos para atingir níveis de excitação satisfatórios ou até para chegar ao orgasmo. Muitos ainda aprendem tudo o que sabem sobre relações sexuais observando a tão deturpada indústria pornográfica, que tende a subjugar as mulheres e resumir todo o sexo ao momento da penetração, que geralmente é apresentado com violência e vulgaridade.

O Tantra e os sentidos

Na contramão de todos esses péssimos conceitos que são espalhados por aí sobre sexo, estão os ensinamentos do Tantra. Dentre todas as suas práticas, vivências e meditações, existe um ritual chamado Maithuna, popularmente conhecido como sexo tântrico.

E o sexo na ritualística tântrica é completamente diferente do que estamos acostumados. Ao invés de ser uma afobada corrida até o orgasmo, ele busca reter e elevar os níveis de bioenergia do corpo. Muito antes da penetração, um parceiro contempla a existência do outro por meio dos 5 sentidos: todo o corpo do parceiro é cheirado calmamente em busca de feromônios, da cabeça aos pés, as costas, a frente, enfim, cada pedacinho da pele; a saliva funciona como forte agente de estimulação, seja espalhada pelo corpo, seja na troca de beijos bem longos; o toque é gentil, carinhoso, muito suave e frequente, com intenção e presença, de maneira que o parceiro se sinta acariciado, protegido e possa se entregar ainda mais; os olhos ficam em conexão quase o tempo todo, aumentando a intimidade e a cumplicidade do casal que conversa, fala, ouve, geme e se orienta mutuamente na descoberta do prazer do outro, com palavras doces e tom carinhoso. Tudo isso feito com muita tranquilidade, sem pressa para a penetração e muito menos para o orgasmo. A meta no sexo tântrico é a transcendência, atingir outros níveis de percepção. Por isso que se explora todos os sentidos, para desligar a influência da mente e deixar o corpo comandar a experiência.

Aqui e agora

É uma maneira de se ater ao momento presente, e não deixar a cabeça tomar as rédeas. Quando a mente começa a fantasiar, somos deslocados do aqui-agora e entramos ou nas expectativas do futuro ou nas lembranças do passado. Ao focar nossa atenção nos nossos 5 sentidos, usando-os em sua plenitude, o corpo passa a tomar o controle e a mente se limita a observar as sensações que afloram. A relação se desenrola mais facilmente e a sintonia do casal aumenta.

Sempre sem pressa!

E, claro, sempre vale reforçar: tudo deve ser feito sem pressa alguma. A ideia é não procurar o orgasmo, mas sim permitir que a energia sexual possa fluir entre os dois, mantendo a excitação como no início do sexo. Deixe os seus 5 sentidos guiar a sua relação. Entregue-se às sensações do seu corpo e descubra uma nova maneira de experienciar o seu prazer.