O Silêncio Interior

Sadhana Comunna

É um Programa voltado para pessoas que desejam aprender a serem silenciosas. Mesmo em meio ao barulho e ao caos a pessoa aprende a desligar os circuitos da audição, a se desvencilhar de seus padrões de respostas emocionais ao que é dito e feito que criam reações de identificação e deixam afetações emocionais.

Esse programa está disponível dentro do Programa Voluntariado e é totalmente grátis, basta solicitar o Botton com a inscrição “In Silence” para que todos saibam que você estará se trabalhando na desobrigação de falar, fazer perguntas ou dar respostas a quem se dirige para você. Tudo o que fizer faça-o em silêncio total, sem a interferência da mente, você pode alcançar o vazio mesmo fazendo coisas práticas, numa situação de No Mind.

O Silêncio Profundo

O discípulo procurou o Mestre e perguntou: “Como alcançar o silêncio?”

O mestre disse, "Não existe mente, então que tipo de estado você está buscando?". Isto é difícil de se entender, muitas pessoas vêm a mim e dizem: "Gostaríamos de alcançar um estado silencioso de mente". Elas pensam que a mente pode ser silenciada; a mente nunca pode ser silenciada. Mente significa a confusão, o problema, a doença; mente significa a tensão, o estado de angústia. A mente não pode ficar em silêncio; quando há silêncio, não há mente. Quando o silêncio vem, a mente desaparece; quando a mente está lá, o silêncio não mais está. Então não pode haver mente silenciosa, assim como não pode haver doença saudável. É possível haver uma doença saudável? Quando há saúde, a doença desaparece. O silêncio é a saúde profunda; a mente é a doença profunda, o distúrbio profundo.

O Mestre o chamou para mais perto e entregou-lhe uma linda flor e ao ver a reação do rapaz lhe disse: "Aqui, entreguei-te a chave". O que é a chave? Perguntou o discípulo. “Silêncio e riso são a chave,  você viu o que lhe aconteceu quando lhe dei inesperadamente uma singela e linda flor? silêncio por dentro, riso por fora. E quando o riso vem do silêncio, ele não é deste mundo, ele é divino. Você entrou num estado de gratidão, sentiu-se grato, presente, merecedor.

Quando o riso vem do pensamento ele é feio; ele pertence a este ordinário e mundano espaço da sociedade, cheio de falsas razões e compreensões, ele não é cósmico. Então você está rindo de alguém, a custo de alguém, você está rindo por alguma razões ordinária e isso é feio e violento. Quando o riso vem do silêncio você não está rindo a custo de ninguém, você está simplesmente rindo de toda a condição cósmica que lhe presenteia, que lhe dá vida, que lhe cria oportunidades, que lhe alimenta, lhe agasalha, lhe proporciona amor, alegria, alimento. É por isso que fico contando piadas engraçadas a vocês... porque piadas carregam mais silêncios que quaisquer escrituras, quaisquer filosofias. Escrituras e filosofias criam mais e mais razões, mais e mais perguntas, você quer saber porque e isso é um grande problema. Cada porque, cada razão lhe trazem muitos porquês, muitos problemas e com isso você perde. Suva vida é consumida em propósitos, em porquês. Isto é uma piada, dentro de você está tudo e você esteve procurando as razões e os entendimentos por todos os lugares. Que mais uma piada poderia ser? O que faz uma piada engraçada além de lhe deixar vazio, livre, feliz, vivendo a felicidade da sua vida? Onde estão os problemas nessa hora? Onde estão os porquês? Você é um rei e fica atuando como um mendigo, não apenas atuando, não apenas enganando os outros, mas fingindo que é um mendigo pra você mesmo. Você tem o recurso de todo o conhecimento, toda a sabedoria a seu dispor, bastando apenas ficar em silêncio e fica fazendo perguntas; você tem o eu sábio e pensa que é ignorante, você tem a imortalidade dentro de você e tem medo e pavor da morte e da doença. Isto realmente é uma piada, e se Mahakashyap, o discípulo, riu, ele fez bem.
Estas são as duas partes. O silêncio interior - o silêncio tão profundo que não há vibração em seu ser; você é, mas não há ondas, não existe reverberação, reação emocional; você é apenas uma poça sem ondas, nem sequer uma onda ocorre; o ser todo em silêncio, apenas; por dentro, no centro, silêncio - e na periferia, celebração e riso. E apenas o silêncio pode rir, pois apenas o silêncio pode compreender a piada cósmica.

Qual é a diferença entre o silêncio real e o falso? O silêncio falso é sempre forçado; por meio do esforço é alcançado. Ele não é espontâneo, ele não aconteceu a você. Você fez ele acontecer. Você está sentado silenciosamente e há mais confusão internamentente. Você reprime isso e então não pode rir. Você se tornará triste porque rir será perigoso - se você rir você perderá o silêncio, pois no riso você não pode reprimir. Riso é contra repressão. Se você quer reprimir você não deve rir; se você rir tudo virá à tona. O real extravasará no riso, e o irreal estará perdido.

Nada pode incomodar se o real silêncio tiver acontecido. Então tudo ajuda para que ele cresça. Se você está realmente silencioso você pode sentar num mercado, e nem o mercado pode atrapalhar isso. Na verdade, você se alimenta do barulho do mercado e aquele barulho se transforma em maior silêncio dentro de você. Na realidade, para sentir o silêncio o mercado é necessário - pois se você tem o silêncio verdadeiro, então o mercado se torna o pano de fundo e o silêncio se torna perfeito em contraste. Você pode sentir o silêncio interior borbulhando contra o mercado.

Esta é a chave - a parte interior disso é o silêncio e a outra parte da chave é a celebração, o riso. Seja festivo e silencioso. Crie mais e mais possibilidades a seu redor - não force o interior a ser silencioso, apenas crie mais e mais possibilidades à sua volta para que o silêncio possa florescer nisso. Isto é tudo que podemos fazer. Podemos colocar a semente no solo, mas não podemos forçar a planta a sair. Podemos criar a situação, podemos proteger, podemos dar fertilizante ao solo, podemos regar, podemos ver aonde o sol chega ou não ou como mais raios de sol são necessários, onde mais ou menos. Podemos evitar perigos e esperar em estado meditativo. Não podemos fazer mais nada. Apenas a situação pode ser criada.

Se você ouve alguém que fala algo que o afeta, que o ofende, que o atinge, a onda reativa vem, o silêncio se desfaz e há uma explosão gigantesca de raiva, de ofensas, de inflamações de cólera. Mantenha-se meditativo, mantenha-se em silêncio. Nada pode lhe causar, nada pode lhe ofender, nada pode lhe ultrajar, se o verdadeiro silêncio se manifestar nessa hora o riso virá, você achará engraçado, alguém tão furioso falando coisas de você, tratando-o mal, lhe ofendendo. E você em silencio não provocativo, autêntico e inabalável silêncio, sua alma ri.

A meditação não leva você ao silêncio, ela apenas cria a situação na qual o silêncio acontece. E este deveria ser o critério - que, seja quando for, o silêncio acontecerá e o riso virá à sua vida. Uma celebração vital acontecerá em toda a sua volta. Você não se tornará triste, você não se tornará depressivo, você não irá escapar do mundo. Você estará aqui neste mundo, mas levando todas as coisas como um jogo, curtindo tudo como um bonito jogo, um grande drama, não mais sério que isso. Seriedade é uma doença.

Quando o silêncio é demais ele se torna riso, ele se torna tão expandido que começa a extravasar em todas as direções. Ele riu. Deve ter sido uma gargalhada louca, e nesta gargalhada não havia Mahakashyap, o discípulo. Seu ego se desfez, não era uma personalidade, i silêncio e o riso o levou além da persona. O silêncio era gargalhada, o silêncio chegou a um florescimento.

Esteja pronto cedo, as 7:00 hs para que possamos sentar em silêncio e ouvir os pássaros ou o vento nas árvores. Apenas SENTADOS SILENCIOSAMENTE, FAZENDO NADA, A PRIMAVERA CHEGA E A GRAMA CRESCE POR SI MESMA. Esta será a primeira e a última mensagem e meu último trabalho na Terra.

Quando um discípulo está pronto, as palavras são abandonadas. Elas são apenas um caminho para traze-lo mais perto pois você não pode compreender nada a não ser palavras. Se alguém fala, você entende; se alguém está silencioso, você não entende. O que você irá compreender? Silêncio é apenas uma parede para você, você não pode achar seu caminho nisso. E o silêncio carrega um profundo medo também, pois ele lembra a morte. Palavras lembram a vida, silêncio lembra a morte. Se alguém está silencioso você começa a se sentir com medo, assustado - se alguém continua a ser silenciosos, você tentará escapar de lá pois isto é muito, o silêncio é pesado demais para você. Por que? Porque VOCÊ não consegue ser silencioso, e se você não pode estar em silêncio, não pode compreender o silêncio. Você é um tagarela; por dentro há um macaco sentado, tagarelando continuamente. Alguém definiu o homem como nada mais que um macaco com metafísica, com alguma filosofia, isso é tudo. E que a filosofia é nada mais que um modo melhor de tagarelar, mais sistemático, mais lógico, mas ainda tagarelice.

O falso silêncio, o pseudo silêncio, é simplesmente sem graça. Você pode ver isso. Se uma pessoa estúpida está sentada ali - um idiota, um imbecil - você irá sentir um certo silêncio ao redor dele; é o mesmo silêncio que você pode sentir num cemitério. O indivíduo tem um espaço ao redor dele que é muito sem graça, ele parece ser muito indiferente ao mundo, não está em contato qualquer, desconectado; ele está sentado ali como um bloco compacto de terra. Não há vibração ao redor dele de qualquer vida, energia, não há nada estremecendo acerca dele. Este não é o silêncio real. Este homem é simplesmente estúpido.

O silêncio real chega fora do entendimento: "Por que eu não estou silencioso? Por que continuo a criar tensões para mim mesmo? Por que continuo em padrões miseráveis? Por que suporto meu inferno? A pessoa começa a compreender o porquê de seu inferno - e por esta grande compreensão, sem nenhuma prática de sua parte, você começa a abandonar aquelas atitudes que criaram aquela miséria. Não que você as abandone, elas simplesmente começam a desaparecer.

Rezar para nós da Comunna é um estado de simplicidade, de humildade, de silêncio. Não é de palavras, mas de silêncio.

Comunicação é da mente: verbal, intelectual, conceitual. Comunhão é da não-mente, do silêncio profundo; uma transferência de energia, não-verbal; um salto de um coração a outro - imediato, sem nenhum mediador.

Deva Nishok
(Adaptação livre dos pensamentos do Osho)

A Linguagem e o Silêncio

“Eu tenho feito as práticas de Meditação e no Work Meditations, em silêncio, eu me sinto esquisita, vazia. O que está me acontecendo?”

Ser libertado da linguagem é ser libertado de todas as limitações humanas. A linguagem é o maior aprisionamento. Estou feliz por você estar sentindo essa dificuldade de expressar algo que esteja experienciando, que esteja acontecendo dentro de você.

Lentamente, se tornará mais e mais claro para você que não há palavra, não há linguagem, não há conceito para explicar seus sentimentos de liberdade, de ser alguém que não pode ser descrito ou definido porque você é algo raro e único e que não pode ser avaliado ou definido, você não consegue expressar isto.

Apenas o silêncio é a única resposta a todas as suas questões, o único encontro com a existência sem nenhuma barreira, nenhuma parede. Apenas o Silêncio pode lhe dar as respostas sobre o sentido da sua vida.

Assim que a linguagem desaparece, a mente não tem mais qualquer utilidade. Pela primeira vez você contata a existência diretamente, sem a mediação da mente - e esta experiência é iluminação. E ninguém está longe disso, está ao alcance de todos.

Então o silêncio não é apenas silêncio, é também comunhão. Então coisas não são ditas, mas ouvidas; então coisas não são ditas, mas mostradas. E quando o coração é totalmente querer, a vida é um tão simples e descomplicado fenômeno que você não pode conceber nada mais simples.

É a mente que cria complicações, prossegue criando complicações e questões. Toda a perícia da mente é criar complicações.

Se você quer viver uma vida simples, bonita, silenciosa, alegre, abençoada, deixe a mente ser ignorada e deixe o coração ser restaurado, deixe seu coração mostra-lhe verdades simples de quem você é e o que busca de verdade, que coisas ou situações justificariam a sua razão de ser ou existir. Só o seu coração consegue lhe revelar isso, mas a mente tagarela não para de falar, o coração necessita de silêncio para se comunicar.

Este é todo o trabalho de um buscador religioso, nada mais é necessário.

Dissolva-se, livre-se de problemas que você mesma cria - porque nenhum problema é significante. Todos os problemas são barreiras entre você e a existência. Agora você tem apenas mistérios se manifestando, se revelando - não há problemas, não há perguntas.

Daquela forma eu sou um homem muito pobre, miserável, cheio de conflitos e problemas a resolver.

Não há problema, não há pergunta; eu sou completamente silencioso. Mas o silêncio tem uma riqueza que milhões de problemas não podem dar a você. O silêncio tem uma riqueza que todas as filosofias do planeta e todas as respostas juntas não podem dar a você.

Quando respondo às suas perguntas, não é que eu tenha uma resposta e simplesmente dê a você. Eu não tenho nenhuma resposta.

Eu simplesmente ouço sua pergunta e deixo meu silêncio responder; pode ser que você ache muitas contradições em minhas respostas. Mas eu não sou responsável, porque eu nunca respondi. É o silêncio que vai respondendo em diferentes momentos, em diferentes tempos, para diferentes pessoas, em diferentes caminhos. Assim como você ouve a resposta, eu também a ouço.

Não há falante aqui.

Aqui, há apenas ouvintes.

E finalmente, a culminância de tudo que é criativo é o místico.

Quando você tiver cantado a melhor das suas canções, então o silêncio é a canção.

Quando você tiver dançado a melhor dança, o dançarino desaparece. E sem o dançarino, como pode a dança permanecer?

Quando sua poesia é perfeita, não há poeta. A poesia tem imenso significado, mas nenhum sentido.

Na China Antiga, um provérbio Taoísta diz: “Quando o arqueiro é perfeito, ele joga fora seu arco e flecha. Quando o músico é perfeito, ele esquece tudo sobre os instrumentos dele."

Existe um mundo misterioso - ilógico para a mente, supra-lógico para aqueles que entendem o mundo da mística. Ele nos envolve; só precisamos da percepção correta, olhos limpos, não contaminados com o conhecimento - inocentes, leves.

Nós precisamos de asas - asas de amor, não de lógica.

A lógica te empurra para baixo. Ela está abaixo da lei da gravidade.

O amor te leva acima das estrelas.

Permita a mística em você, e você terá encontrado tudo aquilo por que vale a pena procurar.

A meditação sempre abre portas, diferentes portas para diferentes pessoas.

Tristeza não é necessariamente algo ruim. Não julgue isto por ruim ou de qualidade negativa.

Quando uma pessoa que nunca esteve em silêncio, pela primeira vez se torna silenciosa, o verdadeiro silêncio parece triste, pois não há excitamento, não há faíscas.

Você pode confundir sua primeira experiência de silêncio com tristeza, mas não é tristeza. É apenas que você esteve sempre engajado em mil e uma coisas e agora elas todas desapareceram. Você se sente um pouco perdido. Antes do silêncio transformar-se em canção, um pequeno período, um transitório período, é absolutamente necessário.

Você conhece a tristeza. E tristeza tem algo de silêncio nela - sempre que você está triste, você está um pouco silencioso. Então há uma associação entre a sua tristeza e o seu silêncio. Quando você se torna silencioso pela primeira vez, a única coisa que você pode sentir de sua experiência passada é a tristeza.

Permita isso se aprofundar. Não julgue isso como tristeza, porque este julgamento pode se tornar uma barreira. No momento em que você diz algo negativo você está tentando se livrar do mesmo. Não diga nada negativo sobre isto.

Apenas aceite isto como uma ponte entre o silêncio e a canção.

Apenas espere um pouco e você vai começar a sentir que este silêncio não está morto, isto não é o silêncio do cemitério. É um silêncio que está muito vivo, um silêncio que não está vazio, mas cheio demais, transbordando...

Osho

Inscreva-se Aqui para participar do Programa de Silêncio